Filme Joel S. Goldsmith, O Homem e Sua Mensagem

Joel S. Goldsmith, The Man and His Message (O Homem e Sua Mensagem) é um filme sobre Joel e sobre a mensagem The Infinite Way (O Caminho Infinito) produzido por seus alunos John Stephenson e Sandra Knight.

O filme conta a história de Joel e entrevista pessoas ligadas a ele como Sue Ropac, neta de Joel e Virginia Stephenson, uma das mais antigas alunas de Joel.

O filme (em inglês) pode ser adquirido diretamente no site Aloha Mystics.

Abaixo segue o trailer do filme:

Anúncios

Receptivo ao Impulso Divino

Portanto, a interpretação da vida não consiste em aprender como usar a Verdade de Deus, mas em ser suficientemente receptivo ao Impulso Divino para que a Verdade nos use. A Vida pode fluir por nós como a nossa vida, e a Sabedoria pode fluir por nós como a nossa sabedoria. Entretanto, não nos pertencem; pertencem a Deus. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 102)

receptivo-ao-impulso-divino.jpg

O único poder

Atualizado em 16/02/2019.

Desde que Todo o Poder está dentro de vocês, olhem à sua volta e constatem que nada no mundo pode ter poder. “Como a mente de uma pessoa lá fora haveria de ter poder se o Reino de Deus, o Reino de Todo o Poder está dentro de mim? Como um micróbio haveria de ter poder se o Reino de Deus está dentro de mim? Como poderia alguém, alguma coisa, alguma circunstância ou alguma doença ter poder quando todo o Poder está em mim e flui de dentro para fora?” Então, vocês estarão aptos a olhar para qualquer pessoa, coisa ou lugar e dizer: “Não terá poder algum sobre mim, a menos que venha do Pai celestial.” Jesus Cristo pôde dizer isso a Pilatos porque já reconhecera o Reino de Deus, Todo o Poder interior. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 88)

Tragam para dentro da consciência as seguintes palavras: Onipresença, Onipotência, Onisciência. Reflitam sobre elas, e toda vez que a evidência de alguma forma errônea de poder se apresentar a seus olhos, afirmem interiormente que essa forma enganosa de poder não pode ser verdadeira se a Onipotência o é. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 95)

Aflições, discórdias, moléstias e desarmonia existem na experiência humana devido à nossa ignorância da Verdade básica, segundo a qual só Deus é Poder. Trata-se de uma ignorância universal, que se impõe quando somos concebidos e começa a nos controlar quando nascemos. Chegamos ao mundo ignorantes da Verdade espiritual, aceitando a crença em dois poderes – o bem e o mal – muito antes de compreender o seu significado. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 102)

Como estudiosos do Caminho Infinito, a nossa primeira lição deve ser esta: desde que a natureza de Deus é a Infinitude, nenhum poder ou lei pertence a uma natureza discordante, material ou limitada. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 102)

No Caminho Infinito, obtemos a cura espiritual e para isso precisamos de um princípio exato. Não pode haver nenhum desvio, assim como não há desvio dos princípios da matemática ou da música. O princípio da cura espiritual é que Deus é amor, é vida, Nele não existe treva alguma; Ele é puro demais para enxergar iniquidades. Mas se somos levados a acreditar que Deus conhece, permite e tolera a doença ou está nos testando ou punindo através dela, perdemos toda a possibilidade de sermos curados. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Praticando a Presença, p. 54)

Se não ficarmos espiritualmente alertas, aceitaremos qualquer tipo de falso ensinamento, quando imposto a nós com frequência e força suficientes. Através do hipnotismo em massa dos meios de comunicação, todos temos sido vítimas de propaganda de um tipo ou de outro, mas nada disso poderia nos atingir se aceitássemos o ensinamento de que Deus, o Invisível Infinito, é o único poder. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Praticando a Presença, p. 60)

Acima dos sentidos

Acima desta vida dos sentidos, há o Universo do Espírito governado pelo Amor, povoado pelos filhos de Deus que vivem na casa ou no templo da Verdade. Este mundo é real e permanente; sua substância é a eterna Consciência. Nele não se percebe desarmonia nem bens efêmeros e materiais. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Caminho Infinito, p. 137)

imagem acima dos sentidos

Unidade

O significado verdadeiro de misticismo é qualquer filosofia ou religião que ensina sobre a unidade com Deus. Misticismo revela a possibilidade de receber revelações e orientações diretamente de Deus, de comungar com Deus, de conscientemente ser um com Deus, e receber o bem de Deus sem intermediário. Então o ensinamento do Caminho Infinito é místico porque, acima de qualquer coisa, seu propósito é alcançar a unidade com Deus.

Uma das declarações místicas mais elevadas que conheci, uma que lhe dará a chave para o céu, a chave para harmonia da mente, corpo, negócios, saúde e prosperidade e todas as outras coisas é: sua unidade com Deus constitui sua unidade com todos os seres e coisas espirituais. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Conscious Union with God – Capítulo 13 – Mysticism).

imagem Unidade

Sabedoria 22

A água fresca e clara da fonte de contentamento interior te renova com a certeza de que a alegria já É. “Paz, aquiete-se.” (Joel S. Goldsmith)

Nenhum outro poder

Quando foi perguntado ao Mestre qual é o grande mandamento, ele respondeu, “Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento (Mateus 22:37)”. Portanto, o primeiro e maior mandamento é, “Não tenha outros deuses diante de mim (Êxodo 20:3)”. Pensamos em Deus como poder, e assim o mandamento é: Não reconheça nenhum outro poder que não seja Deus. O que então estamos temendo – germes, infecção, contágio? Já que Deus é o único poder, estas “coisas” podem ter algum poder? De acordo com o ensinamento do Mestre, elas só teriam poder se viesse de cima, de Deus (GOLDSMITH, Joel Solomon. Living The Infinite Way, p.51).

O sonho da existência humana

O sentido que nos apresenta quadros de discórdia, desarmonia, doenças ou morte é o sono hipnótico universal que gera todo o sonho da existência humana. Temos de entender que não há mais realidade numa existência humana harmoniosa do que em condições desarmônicas. Devemos entender que todo o cenário humano não passa de sugestão hipnótica, e nós temos de nos colocar acima dos desejos, mesmo de boas condições humanas. Compreendamos por completo que a sugestão, a crença ou a hipnose são a substância ou o tecido de todo o universo mortal e que as condições humanas, quer boas quer más, são quadros de sonho, sem qualquer realidade ou permanência. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Caminho Infinito, p. 137)

Sabedoria 20

A visão de Daniel revelou quatro reinos temporais destruídos por uma pedra “cortada da montanha sem auxílio das mãos”. Quando “vir” esta pedra sendo retirada da montanha “sem as mãos”, observará que ela é a Palavra. Consciência, percepção daquilo que É, é a “pedra”, que vence, sem força ou poder, mas pela graça que É. Esteja em paz. (Joel S. Goldsmith)

Nesta época da Páscoa

Nesta época da Páscoa seja uma testemunha da glória de Deus. Abra sua consciência para aquele Eu dentro de você que está batendo e pedindo para entrar, para que você possa manifestar Sua graça e a natureza da vida, sem início e sem fim: a vida eterna, a vida mais abundante, mais gloriosa, mais alegre. Esta é a razão para existir. Alegria para você nesta Páscoa e sempre. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Living by the Word, Kindle location 1337)

Os oito capítulos

Na gravação 453  lado 2 de 1962 Mission Inn Closed Class “Referências Especiais para Estudo e Prática”, Joel Goldsmith indica os oito capítulos absolutamente necessários de se conhecer pois revelam os princípios fundamentais do The Infinite Way® (O Caminho Infinito).

Quatro desses capítulos podem ser encontrados em livros já traduzidos para o português.

Os capítulos são:

 

Livro A Arte de Curar pelo Espírito

imagem livro A Arte de Curar pelo Espírito
A Arte de Curar pelo Espírito – Joel S. Goldsmith – Martin Claret

Este livro do curador espiritual norte-americano Joel S. Goldsmith é um intenso desafio e um jubiloso convite para a realização da cura de nossos males.

Seus ensinamentos – em linguagem simples e clara – estão em perfeita sintonia com as maiores conquistas modernas da psicologia, da psicanálise e da psicoterapia do Ocidente, bem como da filosofia e da yoga do Oriente.

Para o autor não é a simples presença de Deus em nós que cura todos os nossos males – emocionais, mentais e físicos -, mas a consciência dessa presença. Toda cura é uma autocura. A Arte de Curar pelo Espírito é um pequeno tratado de logoterapia.

Esta excelente tradução que ora oferecemos ao leitor brasileiro foi feita pelo filósofo e educador Huberto Rohden, autor do livro Logoterapia.

Fonte:
A Arte de Curar pelo Espírito – Joel S. Goldsmith – Editora Martin Claret

Inércia mental

Há uma inércia mental que funciona universalmente neste mundo humano, evitando até aqueles que foram ensinados como se preparar espiritualmente para o dia de fazê-lo. Esta inércia mental faz com que eles esqueçam de perceber a presença Divina; faz com que eles esqueçam de perceber que o magnetismo ou negligência não é instituído espiritualmente, e portanto não funciona na consciência individual que percebeu a Presença. Para a pessoa, entretanto, que se engaja na preparação espiritual diária, a percepção da presença de Deus e o não poder do mesmerismo ou negligência anula os efeitos do hipnotismo universal, e em certo grau estes efeitos também são anulados para o mundo todo. Um grupo de estudiosos aplicados poderia não apenas libertar-se das discórdias, mas também gradualmente libertar suas comunidades, famílias, vizinhos, amigos, nações, e eventualmente libertar o mundo. (GOLDSMITH, Joel Solomon. The Mystical I, p. 187)

Sabedoria 18

Não existem poderes do mal externos. Discórdias não tem existência externa. Resolva-as dentro de sua própria consciência. “Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam coisas vãs? – Salmo 2:1” (Joel S. Goldsmith)

imagem Sabedoria 18

No primeiro Natal

Está quase parecendo que o significado original da época de Natal se perdeu no consumismo de hoje que aumentou tanto a ponto de levar as pessoas a pensarem em Natal apenas em termos de dar e receber presentes, e a maioria com ênfase em receber. O ato de dar presentes (no Natal) teve origem na história dos presentes que os magos trouxeram para o Menino (Jesus) que procuravam. Foi a homenagem que eles prestaram ao Cristo que era representado pela criança.

Então que nosso presentear seja um símbolo de nosso reconhecimento do Cristo no interior de cada um que presenteamos, um verdadeiro derramar de amor. O símbolo não é importante: é o amor que é importante. Assim podemos deixar de nos preocupar com o que devemos comprar para dar de presente  e derramar nosso amor com simplicidade, que sempre abençoará. Fazer isso é sentir a alegria que deve ter sido sentida por aqueles que reconheceram o Cristo no Menino daquele primeiro Natal. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Living by the Word, Kindle location 3722)