O único poder

Atualizado em 16/02/2019.

Desde que Todo o Poder está dentro de vocês, olhem à sua volta e constatem que nada no mundo pode ter poder. “Como a mente de uma pessoa lá fora haveria de ter poder se o Reino de Deus, o Reino de Todo o Poder está dentro de mim? Como um micróbio haveria de ter poder se o Reino de Deus está dentro de mim? Como poderia alguém, alguma coisa, alguma circunstância ou alguma doença ter poder quando todo o Poder está em mim e flui de dentro para fora?” Então, vocês estarão aptos a olhar para qualquer pessoa, coisa ou lugar e dizer: “Não terá poder algum sobre mim, a menos que venha do Pai celestial.” Jesus Cristo pôde dizer isso a Pilatos porque já reconhecera o Reino de Deus, Todo o Poder interior. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 88)

Tragam para dentro da consciência as seguintes palavras: Onipresença, Onipotência, Onisciência. Reflitam sobre elas, e toda vez que a evidência de alguma forma errônea de poder se apresentar a seus olhos, afirmem interiormente que essa forma enganosa de poder não pode ser verdadeira se a Onipotência o é. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 95)

Aflições, discórdias, moléstias e desarmonia existem na experiência humana devido à nossa ignorância da Verdade básica, segundo a qual só Deus é Poder. Trata-se de uma ignorância universal, que se impõe quando somos concebidos e começa a nos controlar quando nascemos. Chegamos ao mundo ignorantes da Verdade espiritual, aceitando a crença em dois poderes – o bem e o mal – muito antes de compreender o seu significado. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 102)

Como estudiosos do Caminho Infinito, a nossa primeira lição deve ser esta: desde que a natureza de Deus é a Infinitude, nenhum poder ou lei pertence a uma natureza discordante, material ou limitada. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 102)

No Caminho Infinito, obtemos a cura espiritual e para isso precisamos de um princípio exato. Não pode haver nenhum desvio, assim como não há desvio dos princípios da matemática ou da música. O princípio da cura espiritual é que Deus é amor, é vida, Nele não existe treva alguma; Ele é puro demais para enxergar iniquidades. Mas se somos levados a acreditar que Deus conhece, permite e tolera a doença ou está nos testando ou punindo através dela, perdemos toda a possibilidade de sermos curados. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Praticando a Presença, p. 54)

Se não ficarmos espiritualmente alertas, aceitaremos qualquer tipo de falso ensinamento, quando imposto a nós com frequência e força suficientes. Através do hipnotismo em massa dos meios de comunicação, todos temos sido vítimas de propaganda de um tipo ou de outro, mas nada disso poderia nos atingir se aceitássemos o ensinamento de que Deus, o Invisível Infinito, é o único poder. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Praticando a Presença, p. 60)

Anúncios