Infinitas formas e expressões

Esta vida que estou desfrutando não é minha vida mas a vida de Deus: infinita, eterna, e imortal. Este corpo que é meu veículo de expressão é corpo de Deus. Se fosse meu, estaria separado e afastado de Deus; e como eu o preservaria? Mas este não é meu corpo; é o corpo de Deus em uma de Suas infinitas formas e expressões. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Awakening Mystical Consciousness, p. 72)

Anúncios

Livro Awakening Mystical Consciousness

imagem livro Awakening Mystical Consciousness
Awakening Mystical Consciousness – Joel S. Goldsmith – Acropolis Books

Oculto atrás do eu pessoal está o verdadeiro Eu, aquele que Paulo denominou “O Cristo”, ou nossa identidade espiritual. Despertar a consciência mística é chegar naquele ponto onde podemos compreender espiritualmente e vivenciar esta verdade sobre cada um de nós.

Em Awakening Mystical Consciousness (Despertando A Consciência Mística), Goldsmith explica os princípios e práticas que nos ajudarão a despertar. Ele instrui o leitor em como utilizar a contemplação, meditação, e comunhão interior para alcançar a percepção do verdadeiro Eu. Com atenção e em detalhes, ele fala sobre a natureza de Deus como onipresença, onipotência, e onisciência; a natureza do poder espiritual, nossa verdadeira identidade; a natureza dos conceitos; e os entraves que obstruem o caminho da percepção. Porém Goldsmith enfatiza claramente que estas declarações sobre a verdade não são a verdade. Elas apenas nos ajudam a nos colocar no centro de nosso Ser, onde podemos nos tornar receptivos à voz interior.

Um pilar desse livro é eliminar o falso conceito de que o homem está separado de Deus, e que existe um Deus “lá fora” que pode tirar nossos pecados, doenças, carências e limitações. “Através deste trabalho”, diz Goldsmith, “você despertará do sonho de que pode haver qualquer separação. Ele te desperta, e então você pode olhar em volta e perceber que está no céu. Você tem estado lá todo tempo, sonhando que estava no inferno”.

Goldsmith explica que despertar para consciência mística dá grandes frutos. Através de nossa percepção de unicidade, recuperamos nosso domínio original sobre nossos corpos e nossas vidas. Também podemos manifestar a consciência de cura, aquela consciência que compreende que não há nada para ser curado, apenas Verdade para ser revelada. “O objetivo”, diz ele, “é a realização desse Espírito de Deus” – consciência mística. “Este é todo o objetivo da vida espiritual”.

[Nota: Awakening Mystical Consciousness é a coletânea de 1970 de Infinite Way Letters (Cartas do Caminho Infinito).]

Fonte:
Awakening Mystical Consciousness – Joel S. Goldsmith – Acropolis Books (em inglês)

O Eu verdadeiro

O “Eu” verdadeiro alimenta sua vida do centro do seu próprio ser, abençoando todos os que dele se aproximam; é reconhecido pelo seu altruísmo e desinteresse, por não buscar o reconhecimento, a recompensa ou qualquer engrandecimento pessoal. Não se trata de uma entidade sem vigor ou de um boneco que possa ser manipulado pelos mortais – de fato não pode nunca ser visto, nem compreendido pelos mortais. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Caminho Infinito, p. 46)

A crença universal em dois poderes

Devemos reconhecer que o mal é impessoal. Ele provém de uma fonte impessoal, e essa fonte é a crença no bem e no mal. É tudo o que se pode dizer da chamada mente mortal. Como entidade, não existe mente mortal, mente carnal, Demônio, ou Satã. Existe apenas a crença universal em dois poderes, que é a causa da discórdia e da desarmonia sobre a face da Terra. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Suprimento Invisível, p. 105)

Epidemia no ar

Quando há um boato de uma epidemia no ar, mesmo que você não tenha ouvido sobre ela, mesmo que seu rádio e televisão estejam desligados e você tenha parado com os jornais, ela daria um jeito de se transmitir para você sem seu conhecimento consciente. Muitas pessoas diriam, “Veio para mim do nada” ou “Não estava pensando isso, e assim mesmo aconteceu”. O mal de toda e qualquer natureza funciona de forma invisível como uma crença em dois poderes; e como é uma crença universal, age universalmente na consciência humana. A ponto de que se você não rejeitá-la conscientemente, você se torna uma vítima dela. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Awaking Mystical Consciousness, p. 154)

Aniversário

Quanto aos votos de aniversário, eu apenas gostaria que não tivesse qualquer aniversário, de modo que se lhe tornasse familiar a ideia de continuidade da existência consciente, sem parada ou interrupção – a conscientização do desenvolvimento progressivo. (GOLDSMITH, Joel Solomon. O Caminho Infinito, p. 48)

Vida infinita

Vamos considerar agora o princípio: Deus é vida. Isso não significa que Deus é vida na idade de seis anos ou dezesseis. Deus é vida. Então porque não é assim aos sessenta, noventa, ou cento e vinte anos? A razão é que as palavras “eu”, “mim”, e “você” entram em cena, e dizemos minha vida ou sua vida, e imediatamente pensamos na data na certidão de nascimento. Se Deus é vida, de que vale a data na certidão de nascimento? Deus é a única vida e essa vida é infinita. É culpa de Deus então se mudamos ou envelhecemos ou ficamos doentes e fracos e decrépitos? A vida de Deus é infinita, eterna e imortal, e como essa é a única vida, podemos esquecer sua idade e minha idade. (GOLDSMITH, Joel Solomon. Living The Infinite Way, p. 79).